A Orquídea

CLASSIFICAÇÃO CIENTÍFICA

Domínio: Eukaryota

Reino: Plantae

Divisão: Magnoliophyta

Classe: Liliopsida

Ordem: Asparagales

Família: Orchidaceae

As orquídeas pertencem à ordem Asparagales, à família Orchidaceae. Alguns autores definem como a maior de todas as famílias botânicas, com números de espécies estimados entre 25000 e 40000. Mas um consenso geral é de que se trata da maior família botânica dentre as monocotiledôneas. Esses imponentes números desconsideram a enorme quantidade de híbridos e variedades produzidos por orquidicultores todos os anos. A quantidade de gêneros conhecidos também é surpreendente, superando a marca dos 700.

A família Orchidaceae subdivide-se em 5 subfamílias (números estimados de gêneros e espécies pelo Phylogeny Group):

Apostasioideae – 2 gêneros e 16 espécies do Sudeste Asiático;

Cypripedioideae – 5 gêneros e 130 espécies das regiões temperadas do mundo, poucas na América tropical;

Vanilloideae – 15 gêneros e 180 espécies na faixa tropical e subtropical úmida do globo, e leste dos Estados Unidos;

Orchidoideae – 208 gêneros e 3630 espécies distribuídas em todo mundo, exceto nos desertos mais secos, no círculo Ártico e na Antártida;

Epidendroideae – mais de 500 gêneros e cerca de 20000 espécies distribuídas sobre as mesmas regiões de Orchidoideae, embora hajam algumas espécies subterrâneas no deserto australiano.

 

CLASSIFICAÇÃO POR HABITAT

A família Orchidacea é composta de plantas Monocotiledoneas, ou seja, que produzem flores e frutos. Ela conta com cerca de 35 mil espécies naturais e aproximadamente 65 mil híbridos. É considerada pelos botânicos como a mais importante do reino vegetal.

De acordo com o lugar no seu habitat de origem, as orquídeas são classificadas como Saprófitas, Epífitas, Terrestres ou Rupícolas.

SAPRÓFITAS, são desprovidas de clorofila e crescem no húmus das florestas. Apresentam flores pequenas e pálidas.

EPÍFITAS ou DENDRÍCOLAS, a maior parte das orquídeas, vivem grudadas em troncos de árvores, mas não são parasitas, pois realizam a fotossíntese a partir de nutrientes absorvidos pelo ar e pela chuva. Portanto, ao contrário do que se pensa, não sugam a seiva da árvore.

TERRESTRES, vivem como plantas comuns na terra. Ex.: Paphiopedium, Arundina, Neobenthamia, Bletia, embora aceitem o plantio em xaxim desfibrado.

RUPÍCOLAS, Grupo de orquídeas tipicamente brasileiras que fogem à classificação mencionada e que têm as rochas como suporte fixadas nos líquens das fendas. Ex.: Laelia flava.

 

ETIMOLOGIA

De acordo com as regras de nomenclatura botânica, o nome da família deve ser escrito em latim: Orchidaceae (derivado do grego Orchis).
O Termo Orchis, que significa testículos, foi usado pela primeira vez por Theophrastus (c. 372 – 287 a.C.), filósofo grego, discípulo de Aristóteles. Theophrastus comparou as raízes tuberosas de algumas orquídeas mediterrâneas com os testículos humanos. Por este motivo, desde a Idade Média, propriedades afrodisíacas são atribuídas às orquídeas.

 

NOME DAS ORQUÍDEAS

Os nomes das orquídeas são dados em latim ou grego clássicos, línguas mortas, para que sejam os mesmos no mundo inteiro e nenhuma língua viva prevaleça sobre a outra.

Assim, costumam oferecer algumas dificuldades na escrita na pronúncia. Segundo convenção cientifica, nomes de gêneros e espécies devem ser escritos em Itálico. Veja os exemplos:

– O conjunto de vogais ae lê-se e. Ex.: Laelia (Lélia). Exceção: Aerides (Aérides).
– O conjunto de vogais oe também tem som de e. Ex.: Coelogyne (Celogine).
Ph tem som de f. Ex.: Xanthina (Ksantina).
Ch tem som de K. Ex.: Chiloschista (Kiloskista), Pulchelum (pulkelum), Chondrorhyncha (kondrorrinka), Chocoensis (Ornitorricum).
Ti seguido de vogal soa como ci, exceto quando precedido de s, t ou x.
Ex.: Constantina (Constancia), Neofinetia (Neofinecia), Bletia (Blecia), Comparetia (Comparetia), Pabstia (Pabistia).

 

Para consultar uma lista completa de abreviaturas para pesquisa de orquidófilos, CLIQUE AQUI.